14 julho 2009

Aeronáutica procura avião desaparecido

Aeronave com diretor da Magnesita, que saiu sábado de Miami com destino a BH, some na fronteira do Brasil com a Venezuela

Landercy Hemerson – Estado de Minas

Equipes das forças aéreas do Brasil (FAB) e da Venezuela realizaram ontem operações de buscas ao avião monomotor Beechcraft, modelo BE-36 A Bonanza, prefixo N354RA, em que viajavam o executivo mineiro Maurício Lustosa de Castro, de 40 anos, diretor da Magnesita Refratários, e o piloto Alessandro Traugott Ninder Morais. A viagem teve início na manhã de sábado, em Miami, nos Estados Unidos, e o último contato do piloto foi às 18h com controladores de vôo venezuelanos.

A aeronave, que pertence ao executivo, seguia das Antilhas Francesas para o aeroporto de Boa Vista (Roraima), quando desapareceu. No começo da madrugada do domingo, o Centro de Coordenação de Salvamento (RCC), do Aeroporto Internacional de Maiquetia, na Venezuela, captou um pedido de socorro, transmitido automaticamente pelos equipamentos do monomotor.

Ontem o comando da Força Aérea Brasileira informou que deu início às buscas pela manhã, depois de acertos com o Centro de Controle de Área da Venezuela, em Maiquetia. Um avião SC-95 Bandeirante da FAB, matrícula SAR (Search And Recue) 6543, cobriu o território do Brasil, que tem como característica áreas descampadas e de planícies.

O Bandeirantes é equipado com receptores próprios para captar os sinais do Transmissor de Localização de Emergência (TLE), equipamento que emitiu o pedido de socorro no país vizinho às 0h30 (1h30 no Brasil) de domingo. A tripulação é composta de piloto, copiloto, mecânico de vôo e seis observadores. Eles sobrevoaram a rota estabelecida no plano de vôo do piloto Alessandro Morais no espaço aéreo brasileiro.

Equipes do Centro de Salvamento (RCC) de Maiquetia também realizaram buscas ontem no território venezuelano, que é de mata densa e de montanhas. Foram usados um avião de salvamento e dois helicópteros, segundo informaram autoridades daquele país, que estão na base aérea de Santa Elena de Uairén, na fronteira com o Brasil. Devido ao mau tempo na região, as buscas foram encerradas mais cedo, já que estavam previstas para até as 19h30 (20h no Brasil). Porém, serão retomadas hoje pela manhã. A aeronave Bandeirante SAR da FAB permanecerá de sobreaviso na cidade de Boa Vista à disposição do Salvaero Manaus e em coordenação com o órgão de busca venezuelano.

Maurício Castro nasceu em Belo Horizonte, é casado e tem uma filha de 3 anos. Ele é diretor financeiro e de Relações com Investidores da Magnesita desde outubro de 2007. É pós-graduado em ciências contábeis, com nove anos de experiência na indústria de aço, com destaque para finanças e Merger & Acquisitions – M&A (fusões e aquisições). Em seu currículo constam passagens também por empresas como ArcelorMittal Brasil e Votorantim Cimentos. Trabalhou por dez anos como consultor e auditor na KPMG e Arthur Andersen, em vários segmentos da indústria: aço, cimento, bens de consumo, mercado financeiro e automóvel.

Postar um comentário