Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Revogação de embargo de armas contra o Irã criaria instabilidade no Oriente Médio, diz EUA

A abolição do embargo de armas contra o Irã fortaleceria o governo daquele país e ameaçaria a segurança em todo o Oriente Médio, disse a repórteres o representante especial de Washington para o Irã e conselheiro sênior do secretário de Estado dos EUA, Brian Hook.
Sputnik

"O levantamento da proibição ao Irã apenas reforçará o regime e criará mais instabilidade na região", declarou Hook durante uma entrevista coletiva na Arábia Saudita.

O embargo em vigor limitou a capacidade de Teerã de atualizar sistemas de armas, reexportar tecnologias para outros países e melhorar suas capacidades marítimas, declarou o enviado dos EUA.
"O embargo limita a capacidade do Irã de mover armas livremente", acrescentou.

Em 2015, o Irã assinou o Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), com China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e União Europeia (UE).

O acordo exigia que Teerã reduzisse seu programa nuclear e cortasse drasticamente suas reservas de urânio em troc…

Bombardeio russo deixa seis mortos na Síria

Vítimas eram da mesma família; Este é o mais sangrento ataque aéreo russo desde 31 de agosto, quando Moscou anunciou uma trégua na área.


France Presse

Seis civis, incluindo uma criança, morreram neste sábado (02) em Idlib, no noroeste da Síria, em um ataque aéreo da Rússia.

Membros da Defesa Civil da Síria carregam os corpos das vítimas de um ataque aéreo russo na vila de Jaballa, sul de Idlib, neste sábado (02) — Foto: Abdulazez Ketaz/AFP
Membros da Defesa Civil da Síria carregam os corpos das vítimas de um ataque aéreo russo na vila de Jaballa, sul de Idlib, neste sábado (02) — Foto: Abdulazez Ketaz/AFP

O ataque ocorreu na vila de Jaballa, no sul da região de Idlib, e custou a vida dos seis membros da mesma família, disse o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

O OSDH, sediado na Grã-Bretanha e formado por uma rede de fontes na Síria, determina quem está realizando um ataque aéreo de acordo com os padrões de voo, bem como os tipos de aeronaves e munições.

Segundo o chefe do OSDH, Rami Abdel Rahman, este é o mais sangrento ataque aéreo russo desde 31 de agosto, quando Moscou anunciou uma trégua na área.

Desde então, outros oito civis morreram em ataques aéreos russos em diferentes datas na região, acrescentou.

A região de Idlib, que abriga cerca de três milhões de pessoas, incluindo muitas deslocadas pela guerra iniciada em 2011, é controlada pela antiga filial da Al Qaeda na Síria.

As forças do presidente sírio Bashar Al Asad lançaram uma campanha militar contra Idlib em abril, matando cerca de mil civis e forçando mais de 400.000 pessoas a deixar suas casas.

Mas o cessar-fogo anunciado pela Rússia, principal apoio do regime, tem sido amplamente mantido desde o final de agosto, embora os conflitos persistam, de acordo com o OSDH.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS