Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No Dia da Amazônia Azul, Marinha troca celebrações por combate ao óleo no litoral

Comemoração, realizada todos os anos no dia 16 de novembro, deu lugar à busca e contenção da substância que chegou a dez estados brasileiros.
Por Pedro Alves e Beatriz Castro | G1 PE e TV Globo

Em 2019, o Dia Nacional da Amazônia Azul é celebrado neste domingo (16). Anualmente, desde 2015, a Marinha do Brasil realiza uma comemoração para lembrar da importância do mar brasileiro. Neste ano, porém, diante do desastre ambiental causado pelas manchas de óleo no litoral, os esforços são concentrados no combate à substância, em uma ação chamada "Operação Amazônia Azul, Mar limpo é Vida!".

A Amazônia Azul é uma zona econômica marítima exclusiva do Brasil. O país tem o direito de explorar cerca de 5,7 milhões de quilômetros quadrados de oceano, o que equivale a, aproximadamente, metade da massa continental brasileira.

Essa área passou a ser chamada de Amazônia Azul justamente para indicar à sociedade a importância dessa faixa do oceano, já que é dela que saem cerca de 85% do petróleo, 7…

EUA atualizam bombas nucleares após Irã aumentar produção de urânio enriquecido, diz mídia

Bombas antibunker americanas GBU-57E/B capazes de atingir alvos subterrâneos começam a ser atualizadas após o Irã incluir 30 novas centrífugas para enriquecimento de urânio, diz portal The Drive.


Sputnik

As bombas em questão poderiam atingir o centro nuclear de Fordo, onde o Irã disse que novas centrífugas usadas para enriquecimento de urânio foram ligadas.


Caça F-35 americano lança bomba GBU-49 durante treinamento (imagem referencial)
F-35 lança GBU-49 © Foto/ Cortesia do 86º Esquadrão de Armas de Combate

Como reação à medida iraniana, os EUA, segundo o portal The Drive, iniciaram a atualização de suas bombas GBU-57E/B de capacidade nuclear.

O armamento, capaz de destruir alvos a cerca de 100 metros de profundidade sob proteção de concreto, pode ser lançado pelo bombardeiro estratégico furtivo B-2 Spirit.

Testes

Além disso, desde 2011 os EUA têm comprado bombas da série GBU-57 capazes de perfurar defesas subterrâneas.

Muitas delas já foram usadas em testes, enquanto a quantidade real de tal armamento existente no arsenal americano é desconhecida.

Tensões

O acontecimento marca mais um episódio das tensões entre os EUA e o Irã.

Recentemente Washington reforçou sua presença militar na Arábia Saudita ao passo que acusou o Irã de ter atacado instalações da Saudi Aramco em setembro.


Comentários