Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: Novo túnel de vento vai ajudar a desenvolver caça de geração próxima até 2035

O novo túnel de vento da China, chamado FL-62, realizou sua primeira operação no dia 26 de maio, em um teste para uma nova aeronave não revelada, que provavelmente será um caça a jato da sexta geração mais avançado que o J-20 e o J-31.
Poder Aéreo


Referindo-se às novas aeronaves, o designer-chefe do jato J-20, Yang Wei, havia dito em um programa televisivo da CCTV que a China projetaria “uma aeronave muito diferente no futuro através da verdadeira inovação”.

O campo de fluxo gerado pelo túnel de vento foi estável e os dados de teste da aeronave foram coletados pela primeira vez, anunciou o Aerodynamics Research Institute, da estatal Aviation Industry Corporation of China (AVIC), em comunicado divulgado nesta terça-feira pelo Global Times.

A China iniciou o trabalho em um caça de última geração a ser apresentado até 2035 ou mais cedo, segundo Wang Haifeng, arquiteto-chefe do Instituto de Pesquisa e Design de Aviões de Chengdu da AVIC em 2019, que também participou do desenvolvimento dos av…

EUA promete 'pressão máxima' sobre Maduro

Os Estados Unidos prometeram nesta terça-feira manter a "máxima pressão" para que o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, deixe o poder, ao imporem sanções a mais cinco funcionários de seu governo, que já integravam as listas negras de Canadá e União Europeia (UE).


France Presse

"Enquanto Maduro e seus aliados continuam enriquecendo, o povo venezuelano sofre brutalidade, violência e opressão nas mãos dos serviços de inteligência, de segurança e das Forças Armadas", declarou o secretário americano de Estado, Mike Pompeo.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo | AFP/Arquivos / SAUL LOEB

As medidas punitivas impostas pelo departamento do Tesouro mostram o compromisso dos Estados Unidos "de manter a máxima pressão" sobre o "regime de Maduro" para propiciar uma transição democrática na Venezuela.

Entre os funcionários atingidos está o almirante Remigio Ceballos, chefe do Comando Estratégico Operacional das Forças Armadas, que prometeu bloquear a entrada da ajuda internacional no país; e José Adelino Ornelas, secretário-geral do Conselho de Defesa da Nação, acusado de uso "excessivo da força" contra manifestantes e jornalistas.

As sanções atingiram ainda Néstor Blanco, major da Guarda Nacional Bolivariana; Pedro Miguel Carreño, ex-ministro do Interior e deputado da Assembleia Nacional Constituinte, e Carlos Alberto Calderón, comissário do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin).

Os cinco tiveram todos os seus bens e ativos bloqueados direta ou indiretamente sob a jurisdição dos Estados Unidos, e não poderão realizar qualquer transação legal envolvendo entidades ou indivíduos americanos.

As medidas se somam às diversas sanções adotadas por Washington contra o governo Maduro, considerado ilegítimo pelos EUA e por outros 50 países, que reconhecem como presidente interino o líder opositor Juan Guaidó.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS