Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Submarino da Segunda Guerra é encontrado 75 anos depois

Embarcação americana estava desaparecida desde 1944, quando foi atacada por aeronaves japonesas. Destroços são agora localizados por grupo de exploradores no Mar da China Oriental, a mais de 400 metros de profundidade.
Deutsch Welle

Um submarino dos Estados Unidos que desapareceu há 75 anos foi encontrado no fundo do Mar da China Oriental, segundo informou nesta segunda-feira (11) o grupo Lost 52 Project, que busca embarcações americanas desaparecidas.

Com uma tripulação de 80 membros, o submarino USS Grayback sumiu do mapa em 1944, após ser atacado por aeronaves japonesas durante a Segunda Guerra Mundial.

Agora, seus destroços foram achados na costa de Okinawa, no Japão, pelo explorador Tim Taylor e sua equipe do Lost 52 Project, que se dedica a procurar e fornecer informações sobre submarinos e marinheiros americanos desaparecidos na Segunda Guerra.



O USS Grayback nunca havia sido encontrado em parte porque as informações registradas pelos japoneses sobre o local em que o submarino afund…

Ex-líder da URSS, Gorbachev alerta o mundo para o perigo 'colossal' de armas nucleares

O ex-líder soviético Mikhail Gorbachev afirmou que o mundo está em perigo "colossal" devido a armas nucleares mantidas por potências globais em meio a tensões contínuas desde o final da Guerra Fria.


Sputnik

O último chefe da União Soviética ganhou o Prêmio Nobel da Paz de 1990 por negociar com Ronald Reagan um tratado histórico de redução de armas nucleares do qual o atual presidente dos EUA, Donald Trump, se retirou neste ano.


Ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev
Mikhail Gorbachev © AP Photo / dpa, Jens Kalaene

A decisão de Gorbachev de não enviar o Exército soviético para a Alemanha Oriental quando o Muro de Berlim caiu 30 anos atrás foi vista como crucial para preservar a paz durante a Guerra Fria. Mas ele continua sendo uma figura de ódio para muitos russos por permitir o colapso do império soviético.

Aos 88 anos, ele disse à rede britânica BBC em Moscou que o mundo não está seguro, apesar dos esforços anteriores de limitação de armas.

"Embora existam armas de destruição em massa, e especialmente nucleares, é [um] perigo colossal", declarou em entrevista que foi ao ar nesta segunda-feira. "Todas as pessoas precisam declarar claramente - todas as pessoas - que as armas nucleares devem ser destruídas. Dessa forma, estaremos salvando a nós mesmos e ao planeta".

Gorbachev comentou que a rivalidade do século 20 entre Moscou e Washington foi substituída por novos desafios que colocam o mundo em estado de guerra permanente.

"É tranquilo, mas é uma guerra", pontuou, rindo. "A atmosfera está toda errada".

Gorbachev se tornou um crítico do presidente russo Vladimir Putin e de sua abordagem de braço forte à política doméstica e aos assuntos internacionais. Putin aumentou enormemente os gastos militares e está focado no desenvolvimento de novas armas nucleares.

Mas Gorbachev se recusou a se envolver nas próprias batalhas da Grã-Bretanha sobre o Brexit e sua incapacidade de decidir como - ou mesmo se - deixará a União Europeia (UE) depois de quase 50 anos.

"Vá em frente, seu inglês inteligente. Não vou lhe dar conselhos. Você decide", finalizou.

Livro - Minha vida

Livro - Minha vida

Comentários

Postagens mais visitadas