Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: Novo túnel de vento vai ajudar a desenvolver caça de geração próxima até 2035

O novo túnel de vento da China, chamado FL-62, realizou sua primeira operação no dia 26 de maio, em um teste para uma nova aeronave não revelada, que provavelmente será um caça a jato da sexta geração mais avançado que o J-20 e o J-31.
Poder Aéreo


Referindo-se às novas aeronaves, o designer-chefe do jato J-20, Yang Wei, havia dito em um programa televisivo da CCTV que a China projetaria “uma aeronave muito diferente no futuro através da verdadeira inovação”.

O campo de fluxo gerado pelo túnel de vento foi estável e os dados de teste da aeronave foram coletados pela primeira vez, anunciou o Aerodynamics Research Institute, da estatal Aviation Industry Corporation of China (AVIC), em comunicado divulgado nesta terça-feira pelo Global Times.

A China iniciou o trabalho em um caça de última geração a ser apresentado até 2035 ou mais cedo, segundo Wang Haifeng, arquiteto-chefe do Instituto de Pesquisa e Design de Aviões de Chengdu da AVIC em 2019, que também participou do desenvolvimento dos av…

Fim da dependência dos EUA? Coreia do Sul pretende fabricar e vender suas próprias armas

De acordo com a mídia norte-americana, os sul-coreanos pretendem desenvolver seus próprios equipamentos militares, visando sua independência perante os EUA.


Sputnik

Como se sabe, grande parte do arsenal e equipamento militar da Coreia do Sul é fornecido pelos EUA, como por exemplo, os caças F-15X, veículos blindados e lançadores de mísseis, segundo o portal Foreign Policy.

Lançamento do míssil balístico de curto alcance sul-coreano Hyunmoo II durante as manobras conjuntas dos EUA e Coreia do Sul
Míssil sul-coreano Hyunmoo II © AP Photo / Ministério da Defesa da Coreia do Sul

Mas agora seus líderes estariam pensando em mudar essa dependência dos norte-americanos. As Forças Armadas do país pretendem desenvolver, fabricar e vender seus próprios equipamentos militares, diante da ameaça da Coreia do Norte e da gestão incerta da estabilidade e da paz na Ásia Oriental por parte de Washington.

"As empresas de Defesa da Coreia do Sul pretendem elevar suas exportações", afirmou o professor de relações internacionais Daniel Pinkston da Universidade Troy, em Seul.

Até há pouco, a Coreia do Sul e os EUA formavam uma aliança sólida. Entretanto, as últimas declarações do presidente norte-americano, Donald Trump, bem como suas ações, como a retirada das tropas da Síria, aparentemente abalaram a relação entre os dois países, fazendo com que a Coreia procurasse mais "independência".

Apesar de os sul-coreanos seguirem comprando os equipamentos dos EUA, como, por exemplo, os caças F-35, o país demonstra que está tentando se tornar autossuficiente, sem depender dos norte-americanos.
"Os sul-coreanos gostariam de reduzir a dependência da importação de tecnologias militares", ressaltou Pinkston.

Vale citar um dos projetos da Coreia do Sul, o caça multifunção KAI KF-X, que, apesar de ser desenvolvido em conjunto com a Indonésia, é liderado pelos sul-coreanos, que possuem 80 % das ações.

Com isso, o governo sul-coreano pretende não só ser mais independente, como também incentivar economicamente as empresas do país através das exportações e claro, enviar um sinal para os norte-coreanos, que seguem testando mísseis na região, além de garantir a segurança do país em um região instável.

Aviao Eurofighter Typhoon Twin Seater - REVELL ALEMA

Aviao Eurofighter Typhoon Twin Seater - REVELL ALEMA

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS