Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No Dia da Amazônia Azul, Marinha troca celebrações por combate ao óleo no litoral

Comemoração, realizada todos os anos no dia 16 de novembro, deu lugar à busca e contenção da substância que chegou a dez estados brasileiros.
Por Pedro Alves e Beatriz Castro | G1 PE e TV Globo

Em 2019, o Dia Nacional da Amazônia Azul é celebrado neste domingo (16). Anualmente, desde 2015, a Marinha do Brasil realiza uma comemoração para lembrar da importância do mar brasileiro. Neste ano, porém, diante do desastre ambiental causado pelas manchas de óleo no litoral, os esforços são concentrados no combate à substância, em uma ação chamada "Operação Amazônia Azul, Mar limpo é Vida!".

A Amazônia Azul é uma zona econômica marítima exclusiva do Brasil. O país tem o direito de explorar cerca de 5,7 milhões de quilômetros quadrados de oceano, o que equivale a, aproximadamente, metade da massa continental brasileira.

Essa área passou a ser chamada de Amazônia Azul justamente para indicar à sociedade a importância dessa faixa do oceano, já que é dela que saem cerca de 85% do petróleo, 7…

Rússia 'fecha' fronteira no Báltico com frota de novos drones

O agrupamento de tropas russas na região de Kaliningrado passa a dispor de um destacamento de drones Forpost e, em breve, drones Orion e Corsar também se juntarão à unidade.


Sputnik

O drones farão o patrulhamento da costa e do mar Báltico, prontos para rastrearem alvos marítimos e terrestres, ajudando os aviões, artilharia e sistemas de mísseis costeiros.


Orion-E – é o primeiro drone russo capaz de lançar ataques aéreos
© Sputnik / Aleksei Filippov

Os drones Forpost, que pesam aproximadamente 450 quilos, possuem autonomia de até 17 horas e alcance de 250 quilômetros a partir do operador.

Além disso, o Forpost pode realizar missões em quaisquer condições climáticas e é equipado com sistemas optoeletrônicos de identificação de alvos. Futuramente, deve receber estações de radar, conforme o jornal russo Izvestia.

Para além de detectar alvos aéreos e marítimos, o Forpost também apoia na detecção de mísseis de cruzeiro e antinavio ou artilharia costeira que possam ser disparados em sua direção.

"Estes dispositivos podem patrulhar durante muito tempo e são especialmente úteis para operações no mar", destacou o especialista militar Anton Lavrov.

A utilização desses veículos aéreos não tripulados para controlar a situação ao longo das fronteiras é muitas vezes mais barato do que utilizar aviões de reconhecimento, além de serem mais rápidos e consumirem menos combustível.

O Ministério da Defesa russo deve também entregar nos próximos meses drones Orion para defesa da região de Kaliningrado, na região do Báltico.

O Orion é um drone de reconhecimento e ataque com um peso de aproximadamente 1.000 quilos, podendo transportar até 200 quilos de carga útil, o que permite o transporte de munições guiadas. Além disso, ele pode voar continuamente mais de um dia.

O Corsar é semelhante ao Forpost, porém é mais pesado e maior. Em seu interior, ele possui além de equipamentos ópticos, dispositivos para guerra eletrônica, bem como um radar, além de ser capaz de realizar ataques contra alvos terrestres com mísseis e bombas aéreas.


Comentários