05 fevereiro 2017

Israel propõe aliança com EUA e Reino Unido contra 'agressão extraordinária' do Irã

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse neste dominhgo (5), antes de partir para Londres, que os EUA, o Reino Unido e Israel devem formar uma frente comum para combater a "agressão extraordinária" do Irã.


Sputnik


Teerã, de acordo com Netanyahu, "está tentando testar os limites" das novas administrações em Washington e Londres "com uma agressão extraordinária".

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel
Benjamin Netanyahu, Primeiro-ministro israelense © AFP 2016/ RONEN ZVULUN / POOL 

No final de janeiro, o Irã realizou um teste com um míssil balístico intercontinental, em suposta violação a uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, o que provocou críticas de Israel e dos EUA.

"Há uma nova administração em Washington, um novo governo na Grã-Bretanha. Pretendo falar com os dois para fortalecer nossos laços, entre cada um deles e Israel e entre os três", disse Netanyahu antes de embarcar no avião para Londres.

Amanhã, o chefe do governo israelense se reunirá pela primeira vez com a primeira-ministra britânica, Theresa May, e em 15 de fevereiro vai se reunir com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca. May e Trump, por sua vez, se encontraram no final de janeiro.

"Eu acho que a coisa mais importante agora é que países como os EUA, com os seus líderes, e a Grã-Bretanha e Israel, se levantem unidos contra a agressão do Irã e estabeleçam limites claros", disse Netanyahu.

O primeiro-ministro israelense também se reunirá com o ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson.

Postar um comentário