Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Helicópteros Mi-35 da FAB não estão à venda

A publicação francesa Intelligence Online informou que os helicópteros AH-2 Sabre (Mi-35) estariam sendo vendidos para a Líbia em uma operação triangular com os Emirados Árabes Unidos.
Poder Aéreo

Os seis helicópteros Mi-35 mais antigos da FAB seriam destinados às forças do General Khalifa Haftar (Libyan National Army).

A operação seria conduzida pela agência russa Rosoboronexport e financiada pelos Emirados Árabes Unidos.

Os AH-2 Sabre são os primeiros helicópteros de ataque genuínos em operação nas Forças Armadas brasileiras e começaram a ser utilizados em 2009. Em novembro de 2014, o esquadrão recebeu os três últimos exemplares da sua frota de doze helicópteros.

Cada AH-2 conta com um canhão de 23 mm capaz de disparar até três mil tiros em um minuto. Para se ter uma ideia, cada tiro de 23mm causa o mesmo impacto de quase 100 tiros de uma arma calibre 7,62mm, como os fuzis utilizados por tropas no solo.

Com peso de 12 toneladas, os helicópteros têm blindagens em partes essenciais, como no…

Publicado VÍDEO da intercepção de aviões russos sobre o mar do Japão por caças sul-coreanos

Militares da Rússia e da China realizaram a primeira missão conjunta de patrulhamento aéreo na região do Pacífico, mas teve lugar um incidente de intercepção por caças sul-coreanos.


Sputnik

Um grupo constituído por dois bombardeiros estratégicos Tu-95MS da Força Aeroespacial da Rússia e dois bombardeiros chineses realizou um patrulhamento aéreo seguindo uma trajetória planejada sobre as águas do mar do Japão e do mar da China Oriental.


Bombardeiro estratégico russo Tu-95MS
Tupolev Tu-95 MS © Sputnik / Sergei Pivovarov

Antes, Seul tinha declarado que um avião russo A-50 violou por duas vezes o espaço aéreo do país sobre o mar do Japão na região das ilhas de Dokdo, o que teria obrigado a Força Aérea da Coreia do Sul a enviar caças F-16K e F-15K para interceptar o avião russo. Além disso, estes caças lançaram alegadamente 20 foguetes de sinalização e dispararam 360 tiros de metralhadora como advertência.

Segundo os militares sul-coreanos, umas horas antes da ocorrência, os dois aviões chineses realizaram um voo na zona de identificação da defesa antiaérea da Coreia do Sul, depois eles teriam saído da zona e voltado com os dois aviões russos Tu-95.

Segundo o Ministério da Defesa da Rússia, os aviões estratégicos Tu-95MS não violaram o espaço aéreo da Coreia do Sul, mas realizaram um voo sobre águas neutras do mar do Japão, enquanto os caças sul-coreanos realizaram manobras pouco profissionais quando cruzaram a trajetória dos bombardeiros da Força Aeroespacial russa, pondo em risco a segurança deles.

De acordo com o ministério russo, os aviões russos e chineses "agiram de acordo com as provisões do direito internacional".

Além disso, o ministério declarou que os militares da Coreia do Sul já tentaram impedir voos da aviação russa sobre as águas neutras do mar do Japão, se referindo a uma "zona de identificação da defesa antiaérea" estabelecida unilateralmente pelo país asiático.

Representantes do ministério sublinharam que zonas deste tipo não estão previstas pelas regras internacionais e não são reconhecidas pela Rússia, e que o lado sul-coreano já foi informado sobre isso várias vezes.




Comentários