Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Revogação de embargo de armas contra o Irã criaria instabilidade no Oriente Médio, diz EUA

A abolição do embargo de armas contra o Irã fortaleceria o governo daquele país e ameaçaria a segurança em todo o Oriente Médio, disse a repórteres o representante especial de Washington para o Irã e conselheiro sênior do secretário de Estado dos EUA, Brian Hook.
Sputnik

"O levantamento da proibição ao Irã apenas reforçará o regime e criará mais instabilidade na região", declarou Hook durante uma entrevista coletiva na Arábia Saudita.

O embargo em vigor limitou a capacidade de Teerã de atualizar sistemas de armas, reexportar tecnologias para outros países e melhorar suas capacidades marítimas, declarou o enviado dos EUA.
"O embargo limita a capacidade do Irã de mover armas livremente", acrescentou.

Em 2015, o Irã assinou o Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), com China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e União Europeia (UE).

O acordo exigia que Teerã reduzisse seu programa nuclear e cortasse drasticamente suas reservas de urânio em troc…

Rússia cobra volta dos inspetores de armas químicas da ONU à Síria

Representante russo nas Nações Unidas querem posição de neutralidade dos especialistas

Diário da Rússia


O representante permanente da Rússia na ONU, Vitali Churkin, declarou que a Rússia espera um retorno imediato à Síria dos inspetores das Nações Unidas para a realização de novas investigações sobre os verdadeiros responsáveis pelo uso de armas químicas nos atentados de 19 de março e dos dias 21, 22, 24 e 25 de agosto.

Para Vitali Churkin, a missão liderada por Ake Sellstrom, chefe do grupo de especialistas da Organização das Nações Unidas, deve retornar o mais rapidamente possível à Síria e adotar uma posição de absoluta neutralidade ao atribuir responsabilidades pelos atentados ocorridos em pelo menos duas cidades: Aleppo e a capital, Damasco.

As palavras de representante permanente da Rússia na ONU, Vitali Churkin, foram pronunciadas durante entrevista coletiva de imprensa na sexagéima oitava Assembleia Geral da ONU, que começou na terça-feira, 17.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS